Acidez esporádica.

Bom humor é tipo o IMC da Preta Gil né, gente? Vive oscilando e ninguém sabe o porquê, mas todo mundo tenta achar uma explicação endócrinológica pra isso. (Ai, olha só, piadinha no começo do post, já tô com a corda toda).

Eu fico bem impressionado com humanos que conseguem manter consistência no humor. Digo isso como um aspirante à boa praça. Já escrevi uma vez em um blog qualquer que eu tenha criado (porque, né, blog pra mim é tipo criança Africana comprada da Madonna, TEMDEMONTE), que eu queria estar de bem com a vida, de vento em popa e assim (dedinhos juntos) com o mundo.

Pois bem, até tento e tudo mais ser feliz da vida, mas num consigo. Acho que faz parte daquela minha preguiça que eu nunca contei pra vocês aqui do blog – sou preguiçoso. Dá preguiça de ser legal todo tempo, tá, me deixa.

Que humor é válvula de escape até Rafinha Bastos sabe, mas tem hora que você simplesmente não quer escapulir nada do seu sistema e que faz bem guardar um pouco de rancor e ódio no coração sem externalizar em forma de piada. Faz bem amamentar aquele tumorzinho que você tá criando dentro de você desde aquele trabalho em grupo da quarta série sobre placas tectônicas E QUE O FILHODUMAPUTA DO VICTOR NUM AJUDOU EM NADA MONTOU NAS SUAS COSTAS E LEVOU A NOTA INTEIRA, né, lindinho, saudade.

Tem muita gente ruim no humor no Brasil. Caráleo, como tem. Num vou citar nomes porque num quero me comprometer. Vai que rola um teste do sofá aí, eu vá parar na Malhação e dou de cara com o cujo na festa da QUEM? SITUAÇÃO CHATA.  Mas tem muita gente boa também. Aí eu olho pra esse povo e falo: COMO? Imagina que você é a Tatá Werneck (que é boa comediante), tá de TPM, de bode, sabe, inchada, o Activia da semana num fez efeito e o acúmulo ainda tá lá, NUM SEI MUITAS POSSIBILIDADES DE MAU HUMOR, e tem que gravar  um quadro pro Comédia MTV e sabe, NUM QUERO, ME DEIXA. Se você trabalha num escritório, tá de boa, dá aquela enrolada no chefe, finge que tá olhando alguma coisa no monitor e vai tomar café a cada cinco minutos. MAS NA FRENTE DAS CÂMERAS, COMO EU FAÇO, BIAL?

Humor é tão complicado. Existe de tantos tipos, tantas fases, tantos estímulos. É foda tá naquela rodinha né e fazer a piada do pinto, peido e TIPO NINGUÉM RIR QUE TODAS É FINA NA RODA? Chato. Mas humor bom é humor que faz rir, tá aí o CQC que num deixa a gente mentir, né, zenti? SÓ QUE AO CONTRÁRIO TIPO LÁ DO OUTRO LADO DO MUNDO NO JAPÃO DE TÃO AO CONTRÁRIO.

Queria eu ter a capacidade de entreter a todo momento, a toda a hora, a todos os instantes. Que oS meuS infernoS altral(IS) num prejudicassem minha capacidade de fazer rir e ser querido. Porque todo mundo que quer fazer rir procura a aceitação, que vem de uma carência, uma necessidade a ser suprida de sei lá o quê. É por isso que palhaço bom é palhaço triste. Que tira a maquiagem nos bastidores do circo com lágrimas nos olhos e um aperto no coração. A sina de quem quer fazer rir, ou tenta pelo menos, é ser triste sozinho. Já  é tão ruim encarar tristeza sozinho que, quando tem gente na parada, faz bem mesmo fazer sorrir e levar aquele tapinha nas costas do tipo CARA VC É MUITO ENGRAÇADO PQP.

Aí a gente fica feliz, um tiquinho que seja.

(FALOU  A COMEDIANTE ALOK)

Beijos,
Caio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: